CONSULTORIA DE COMUNICAÇÃO

 

Quando se deve recorrer a uma consultoria de comunicação? O que é? Quem a faz? O que é que engloba e o que implica? Para que serve? Como funciona?

São sempre muitas as questões levantadas em torno deste tema e foi por isso que procurei sintetizar neste texto toda a informação mais útil e relevante para um bom início de conversa.



Embora o recurso a Consultorias Externas de Comunicação seja uma prática comum e recorrente entre grandes empresas, há ainda um relativo grau de desconhecimento sobre as vantagens e o impacte que uma ajuda especializada deste tipo poderá ter num negócio local, de menor dimensão.

Ao longo da minha vida profissional  tive a oportunidade de contactar com uma grande diversidade de pessoas, ambientes de trabalho e contextos de negócio. Em vários momentos pude perceber que muitos dos problemas que as entidades com as quais colaborei, ou contactei, tiveram a dado momento que enfrentar decorreram, em larga medida, de um fechamento sobre si mesmas e da evidente impossibilidade de dominarem todas as áreas de conhecimento ao mesmo nível e ao mesmo tempo. No campo da comunicação então, a observação destas duas evidências é dolorosamente flagrante porque, infelizmente, ainda impera a presunção de que não é necessário um grande rigor, conhecimento ou planeamento para se conseguir comunicar. Mas como o tempo acaba por vir a comprovar, o preço a pagar por esse desinvestimento às vezes pode ser demasiado alto, nomeadamente ao nível da reputação, credibilidade e fidelização de clientes, sobretudo quando se vive num mundo cada vez mais informado, competitivo e exigente como o actual. Acredito, por isso, que esses momentos se constituem como pontos-chave para abrir janelas de oportunidade e transformação. E é precisamente aí que o saber e a criatividade do consultor de comunicação devem entrar em cena e fazer a diferença.

Essa é a missão que me apaixona e motiva, a de:
-incentivar e apoiar o autoconhecimento;
-promover o alinhamento e reenquadramento de objectivos e estratégias;
-ajudar a definir o que pode e deve ser comunicado e como é que deve ser comunicado;
-ajudar a ir mais longe, com confiança renovada, aumentando a notoriedade e a credibilidade;
-ajudar a chegar a mais clientes.

Tudo isso é valor útil, valor que pode e deve ser acrescentado a partir de uma análise isenta, dedicada e integrada com os valores de cada marca, seja ela pessoal ou empresarial, num trabalho de aprofundamento e de partilha, que é também uma experiência de crescimento, uma parceria de cumplicidade.

Mas afinal, o que é uma consultoria de comunicação?


A CONSULTORIA DE COMUNICAÇÃO É

uma atividade profissional especializada de diagnóstico e formulação de soluções de comunicação través de um conjunto de medidas, devidamente estruturadas e faseadas, levadas a cabo pelo consultor de forma objectiva e independente.
Esta actividade existe para dar resposta às necessidades de cada cliente (seja ele uma pessoa singular, uma pequena ou uma média empresa), através de uma análise criteriosa do negócio e do seu público-alvo com vista à definição de uma estratégia e plano de acção consequente com os objectivos que se pretende atingir.

PORQUE CADA CASO É UM CASO  

CADA CLIENTE EXIGE E MERECE UMA SOLUÇÃO PERSONALIZADA 

À SUA MEDIDA

Cabe ao consultor encontrar uma proposta de acção elaborada através de uma abordagem rica, envolvente e diferenciadora. Para isso, um bom consultor de comunicação deve possuir capacidade analítica, boa organização, automotivação, ética profissional e um vasto conjunto de conhecimentos dentro da área em que opera, não descurando, durante o desenvolvimento do seu trabalho a observância também das políticas, valores e cultura organizacional da entidade que o acolhe, o que será o garante de uma relação tranquila, colaborante e potenciadora de resultados positivos.



Apesar de cada consultor, tendo em conta as suas aptidões naturais mais especiais e no decorrer da sua experiência acumulada, acabar por encontrar um caminho próprio e diferenciador para a sua oferta, ao elaborar uma proposta de consultoria e um plano de acção para um determinado cliente, ele não tem obrigatoriamente que incluir todos os serviços em que se destaca e que está apto a prestar no âmbito da sua actividade, porque o cliente em questão poderá não apresentar problemas em todos esses pontos, carecendo de uma intervenção especializada em apenas alguns deles e em articulação com o que de positivo já teve previamente implementado, está em utilização e a apresentar bons resultados. Nestes casos, o esforço do consultor para atender às necessidades reais do cliente e manter a coesão e coerência entre todos os produtos do seu trabalho e o de outrem, apesar de poder ser potencialmente maior, não deve, contudo, perder autenticidade nem independência de análise. Nesse sentido, é importante que o cliente também perceba que foi para isso que o contratou e que é daí que advém a sua vantagem, pelo que é desejável manter-se sempre aberto e disponível para incorporar ideias novas.

UM BOM TRABALHO AO NÍVEL DA CONSULTORIA DE COMUNICAÇÃO IMPLICA

um estudo aprofundado do cliente e do seu contexto. É por isso fundamental que se olhe para esse conjunto como um todo, considerando todas as ramificações do problema identificado e todos os envolvidos nessa situação.

A CONSULTORIA DE COMUNICAÇÃO PODE

contribuir enormemente para o sucesso do cliente repercutindo-se, nomeadamente:

-numa vantagem em relação à concorrência;
-no melhoramento da sua reputação/notoriedade no mercado;
-no aumento da sua visibilidade offline e online/maior alcance de audiência;
-numa mais correcta identificação do seu público-alvo/de interesse e numa adequação dos conteúdos e canais ideais para o mesmo, o que se traduzirá num maior engajamento por parte deste;
-na conversão de público-alvo que consulta/visita em público-alvo que paga - alavancamento do negócio.

A CONSULTORIA DE COMUNICAÇÃO FAZ-SE

através de uma metodologia que obedece a uma estrutura de pensamento e acção.
As fases mais importantes são as seguintes:

-Identificação de uma oportunidade (diagnóstico dos problemas que devem ser eliminados e dos aspectos que podem ser melhorados);
-Conhecimento do contexto: avaliação de concorrência e público-alvo; pesquisa e recolha de dados realmente úteis e relevantes;
-Exposição de ideias / desenvolvimento de conceitos / definição de uma estratégia ;
-Planeamento e elaboração de um plano de acção e de um calendário editorial;
-Criação de uma matriz de regras de comunicação a seguir na edição de conteúdos;
- Tratamento de dados;
-Produção e revisão de conteúdos;
-Publicação de conteúdos;
-Acompanhamento e avaliação;
-Ajuste e melhoramento;
-Expansão.   



____________________________

Este tema despertou o seu interesse?

Se precisa de ajuda, deseja propor uma colaboração, ou apenas conversar um pouco sobre alguma ideia, não hesite em contactar.


Linkedin | Instagram

© 2021 A. Rafael da Silva - Todos os Direitos Reservados